Saúde e bem estar Toggle

Ovo afasta mau humor: veja alimentos que ajudam e atrapalham

Segundo pesquisa, poucos brasileiros ligam alimentação à alteração de humor, mas cardápio aumenta e diminui raiva e ansiedade

Aline Lacerda

Trânsito, contas no fim do mês e vizinho barulhento dão mau humor em qualquer um. Mas sabia que fritura, fast food e gordura demais também influenciam o estado de espírito? Uma pesquisa recente mostrou como o brasileiro liga o bem-estar à alimentação. Mesmo entre as pessoas que consideram ter uma alimentação balanceada, 34% relacionaram o mau humor aos hábitos alimentares. Já entre os entrevistados que disseram comer de maneira errada, o número sobe para 45%.

Entre as pessoas que sentem irritação com frequência, 64% se alimentam de fast food ao menos duas vezes na semana, 61% não bebem dois litros de água diários e 58% não costumam comer produtos integrais mais de três vezes na semana. O levantamento foi feito com 500 homens e mulheres de mais de 18 anos via internet, pela Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) em parceria com o multivitamínico Centrum.

Fonte: Terra

Fonte: Terra

SAIBA MAIS

Porções de carboidrato ajudam a combater jet lag, diz estudo

Primogênito obeso aumenta risco de irmão ter excesso de peso

Porções menores de doces são mais prazerosas, diz estudo

Lavar frango aumenta risco de intoxicação alimentar

“Alimentação desequilibrada causa alteração nas funções metabólicas e hormonais e isso afeta o humor e causa irritação”, afirma Dr. Rogério Padovan, especialista em medicina esportiva e nutrologia pela USP. Ele explica que o efeito de certos alimentos no corpo são os responsáveis pelo desconforto. Eleger cardápios e dietas radicais que excluem grupos alimentares, como as que proíbem o consumo de carboidrato, por exemplo, alteram demais o metabolismo e rebaixam os níveis de energia, fazendo com que as pessoas experimentam eventuais momentos de fúria.

Além destes efeitos, o consumo exagerado de gordura reduz ainda os níveis de triptofano, precursor da serotonina, neurotransmissor do bem-estar. “Os alimentos ricos em gordura saturada e trans, como os industrializados, geram um estado de inflamação, liberando moléculas que vão reduzir a atividade do triptofano e podem reforçar alterações de humor”, explica a nutricionista funcional Juliana Bueno.

Como grande influenciador do humor, o cardápio não é só um dos responsáveis pela ansiedade, há comidas que agem também na hora de levantar o astral. “O ansiolítico mais vendido no mundo é chocolate”, diz Dr. Rogério Padovan. Além do cacau, banana e ovo também são alimentos ricos em triptofano.

 Nesse mesmo time, opções de vitaminas e minerais também cooperam para ter uma vida mais feliz: magnésio, selênio, complexo B e vitamina C estão entre elas. “Estes alimentos devem fazer parte da rotina da pessoa para que este distúrbio no humor não ocorra, mas se consumido de forma pontual também já atua”, comenta a nutricionista.

Mas a busca pelo prazer imediato que alguns alimentos (como cacau) causam pode os transformar em vilões, quando passam a ser um dos responsáveis pela obesidade e dificuldade de perda de peso. “Alguns alimentos vão aliviar, mas não tirar a ansiedade. Não dá para ficar estressado e comer chocolate toda hora, vai acabar comendo demais e ficar obeso”, explica Dr. Rogério.

Além da sobremesa, as massas também causam um efeito parecido no corpo. Os alimentos ricos em carboidrato refinado – como arroz branco, macarrão, pão francês – provocam o aumento da insulina, o que faz com que o triptofano chegue intensamente ao cérebro. “No início é bom, mas logo ela começa a faltar e a pessoa tende a comer outra porção deste mesmo alimento na busca de prazer. Isso gera piores alterações bioquímicas e fica cada vez mais distante o objetivo de aumentar o bem-estar de forma mais duradoura”, afirma a nutricionista.

Fonte: Terra Notícias

Os comentários estão fechados.